sábado, 21 de agosto de 2010

Relato II: O Grande Dia...

Só vou voltar um pouquinho na história, só pra não deixar de comentar uma coisa muito importante, o primo do meu marido chegou no salão um pouco antes de me levar e disse que tava tudo muito lindo no sitio... ( nossa, pra qualquer noiva ouvir isso é muito confortante, aí é que não teve motivo nenhum pra eu ficar nervosa mesmo)...
Tá, voltando ao assunto, na hora em que cheguei ao sitio, levada por minha irmã ( que dirigi super bem), todos subiram para o campo onde seria a cerimônia, o primo do meu marido me disse que havia mudado o campo, porque o que a gente tinha escolhido estava deteriorado ( mas naquela altura eu nem me importei com isso), minutos depois todos já acomodados lá em cima, veio o fotógrafo, tiramos mais algumas fotos ( eu e meu querido papis, mas como as fotos que eu estou postando aqui ainda não são as do fotografo, está faltando um monte de foto maravilhosa para mostrar...)
O fotografo subiu para o campo e eu e meu pai ficamos no carro, vi minhas lindas crianças tirando foto e esperando a vez e eu lá, pensando ‘essa musica é a entrada dos padrinhos’, ‘o Alexandre ta entrando agora...’, ‘Agora é a Julia’, quando o Gladstone ( o primo tão citado) veio buscar o carro ( meu pai não pode dirigir porque é deficiente visual) era minha vez... ai meu Deus... quando o carro subiu e eu vi todos os meus convidados ali me esperando, loucos para ver o meu vestido, a minha make , o meu cabelo, e por fim a cerimônia ( brincadeira meu amores)... meu pai abriu a porta do carro e todos me olharam, sai do carro e fui me aproximando do tapete ( era vermelho mas estava coberto com um tecido laranja, ficou lindo) coberto de pétalas brancas, mais uma paradinha para o fotografo e quando eu olho para o lado vejo um monte de mulher chorando... ( pra que eu fui olhar) as lágrimas começaram a se formar mas eu as segurei... eu precisava segurá-las ( a make, nãããããoooo, kkkkk).
Chegamos onde o noivo tinha que me buscar... ele se aproximou, cumprimentou meu pai, minha mãe foi buscá-lo e ficamos só eu e ele ( verdade meninas, não conseguia ver mais ninguém, só ele e pela forma que ele me olhou pra ele só tinha a mim naquele momento), nos preparamos tanto para aquele momento, e nada saiu como planejamos, eu tive que pedir para que ele beijasse a minha mão discretamente, porque ele só sabia repetir: ‘ Você está linda!!!’ ( coisa que ele raramente fala), o beijo na testa, esse não saiu, ele esqueceu e eu para não estragar o momento desisti de falar, tav tudo tão perfeito, pra que um beijo na testa. Nos aproximamos do pastor, um querido amigo do meu marido que eu não conhecia pessoalmente, mas que com suas palavras traduziu tudo o que significava pra mim estar ali, não é um conhecedor da língua portuguesa, mas um humilde homem de Deus, que com o seu pouco vocabulário traduzia para nós o que Deus tinha a falar naquele momento.
Fiquei emocionada e para engolir o choro cheguei a fazer careta emburrada e o fotografo nos alertou: ‘ finjam que estão felizes’ ( esse é o jargão dele par nos fazer rir de nós mesmos e voltar a sorrir) Olhava para o noivo e via que ele de tão nervoso estava imóvel, o dj colocou a musica da entrada das alianças , mas as crianças ainda não estavam prontas... e depois eu continuo ( assim que der eu atualizo esse post com fotos é que minha internet tá pessima, perdoem-me...)



Um comentário:

Posts Recentes