terça-feira, 8 de junho de 2010

Foi assim...

Nossa História 1ª Parte: Bruna

Conheci o Alexandre no dia 01 de janeiro de 2008, estava um pouco
desiludida com relacionamentos anteriores mas disposta a encontrar 

um amor verdadeiro... Naquele dia tinha dito a mim mesma que não

passaria meu ano novo em casa, mas que iria para a casa de alguma 

amiga, conhecida, sei lá, minha prima Ana Paula, me levou no dia 31

na casa de uma amiga dela, a Magda, na mesma rua onde moro, 

marcamos que depois da virada iriamos para lá. 

Depois da virada fomos cumprimentar a vizinhança e eu chamei 

minha prima para irmos a casa da Magda e tive que insistir muito

para ela aceitar voltar lá, como tinhamos prometido. 

Assim que passei o portão da casa da cunhada da Magda vi aquele 

homem lindo em pé num canto da parede e meu coração bateu mais 

forte na hora eu não sabia porque. 

Depois de um tempo ouvindo musica e bebendo champagne, 

vi o meu primo de 2 anos com um celular na mão, então 

perguntei a ele de quem era aquele celular e quem me respondeu? 

O Alexandre, lógico que eu sabia que o celular era dele,

quando dei por mim estavamos numa conversa animada 

e trocando telefones, marcando de se encontrar, sair.

Naquele mesmo dia as 18:00 em ponto, ele me ligou marcando

de irmos ao cinema. 

No dia 06 de janeiro de 2008 começamos a namorar... 

e estamos até hoje juntos felizes e sonhando com uma familia 

feliz construida por nós.

Nossa História - 2ª Parte

Depois de 11 meses namorando, brigamos muitas vezes
por muitas besteiras, somos pessoas dificeis de se conviver, 
e em parte é por isso que não nos demos bem em 

relacionamentos anteriores. 

Em novembro de 2008 o Alexandre sofreu um acidente de moto, 

chorei tanto, mas não me desesperei, a esperança vinha de Jesus e 

eu em nenhum momento pensei que ele iria morrer.

Lembro-me até hoje do policial me dando a notícia depois que eu 

cheguei no hospital. 

Me disse de uma forma brusca: " Ah, o Alexandre, ah esse aí 

quebrou as duas pernas, os braços, a bacia, mas está vivo". 

Minha mãe segurou forte no meu braço esquerdo e começou 

a chorar.

Naquele momento ainda não tinha caido a ficha da gravidade 

da situação, pouco depois chegou outro policial e disse que 

entrou outro Alexandre também acidente de moto mas que 

havia quebrado só o tornozelo, torci para que aquele fosse 

ele e não o outro, mas não era, quando eu pedi o celular dele 

e o policial me entregou, eu virei para a parede e comecei a 

chorar, minha mãe precisou me segurar, ali eu tinha certeza, 

tinha sido o meu Alexandre que quebrara tanto. Depois de 

muita espera conseguimos falar com ele, ele estava numa maca, 

sofria tanto de dor, e eu me segurei para não chorar na frente dele. 

Ele disse o numero de telefone do irmão dele que eu ainda não 

conhecia, minha mãe assim que chegou em casa ligou para ele. 

Fui todos os dias no hospital ver o Alexandre e a cada dia 

conhecendo um parente novo, ele tava em coma induzido e 

eu pedia muito a Deus pela vida dele, ele teve que passar 

por tres cirurgias e uma foi por causa de uma perfuração 

no pulmão causada por uma costela. 

No dia 19 de novembro de 2008, dia de seu aniversário 

de 35 anos, o Alexandre acordou, e aí começou sua nova 

batalha, vencer a dor. 

Com Deus à seu lado, dividindo o fardo. 

Eu ia todos os dias ver o Alexandre e passar a noite cuidando 

dele, revezava no inicio com a tia e o irmão dele e minha mãe, 

depois era minha mãe e eu, até março de 2009, quando ele voltou 

para casa. 

A recuperação dele foi maravilhosa, algumas sequelas teimam 

em ficar mas a vida é maravilhosa, e Deus mais ainda. 

O meu namoro com o Alexandre passou de uma simples tentativa 

de dar certo, para amor da vida toda.
Maratona do Dia dos Namorados do Colcha de retalhos, vale a pena participar...

Nenhum comentário:

Postar Comentário

Posts Recentes